Euforia pelos Coldplay. Há quem tenha dormido às portas do Estádio

Tão alta como um céu carregado de estrelas, expressão bucólica que a banda britânica eternizou num dos seus êxitos.

Nas várias portas exteriores do Estádio Cidade de Coimbra, o corrupio normal antes dos grandes eventos era assinalável hoje de manhã, com entrada e saída de camiões, segurança em últimos preparativos e muitos, muitos apaixonados pelos Coldplay, que mais logo à noite arrancam em Portugal para uma nova etapa da digressão, que levará à cidade do Mondego mais de 200 mil pessoas até domingo.

De Felgueiras, um grupo de três amigos estudantes no Porto, Inês, Ana e Luís, chegaram cedo a Coimbra. Depois de em 2017 terem assistido a um concerto da banda em Paris, desta vez reuniram-se para aproveitarem “um espetáculo diferentes de todos os outros”.

“Faltámos as aulas e saímos do Porto às 06h30. É um espetáculo incrível. Não há muitas bandas assim”, disseram à Lusa, enquanto espreitavam para o interior do estádio pela porta da maratona, que serve de entrada para os camiões que ajudam nos preparativos finais.

Ainoa viajou de mais longe, de Vigo, Espanha. Sozinha, mas determinada, a espanhola acordou pelas 04h00, fez-se ao caminho meia hora depois e admitiu esperar logo um “concerto memorável de uma banda incrível”.

“São músicas bestiais, fantásticas. E o ambiente? Um ambiente incrível, com milhares de pulseiras coloridas. Está tudo preparado para uma noite brutal”, disse, enquanto procurava o número das portas que a colocarão mais logo no paraíso — ‘Paradise’ — um dos êxitos que quer dançar durante o concerto, como quem conquista o mundo.

Os britânicos Coldplay iniciam hoje uma jornada de quatro concertos em Coimbra.

Voltam ao palco na quinta-feira, descansam na sexta, e tocam novamente no Estádio Cidade de Coimbra no sábado e no domingo. As portas abrem às 17h00 e é expectável que os concertos começam por volta das 18h45, com fim às 00h00.

Bernardo, de Coimbra, que dormiu às portas do estádio com a irmã — e “mais um grupo de 30 pessoas que, entretanto, foram aparecendo” — recordou a noite, mas já a esqueceu, de muito vento, com muita areia das obras, pelos ares, a incomodar, e disse esperar um “concerto imperdível”.

“Queria ver há muito tempo e finalmente conseguimos. É uma banda que dá grandes concertos, pelo que tenho visto. Queremos ser os primeiros a entrar, para tentar ficar na frente”.

Mais a sul, de Lisboa, um outro grupo, numa outra zona do estádio, procurava algum café para o pequeno-almoço.

“Viemos os quatro e queremos também ir marcar lugar. Mas, primeiro, o pequeno-almoço”, disse Marta que, juntamente com Pedro, Marco e Simão dormiram nas proximidades do Estádio.

A noite, ao frio, com um vento “perverso e selvagem”, como em ‘Viva La Vida’, um outro êxito da banda inglesa, não atemorizou este grupo de amigos, que estão preparados para uma “noite para nunca mais esquecer”.

“Se calhar até ficamos para a Queima” das Fitas, que começa na quinta-feira, disseram os quatro.

Além dos quatro concertos de Coldplay, Coimbra recebeu a semana passada o arranque do Rali de Portugal e está na antecâmara da Queima das Fitas, que arranca na quinta-feira e se prolonga durante uma semana.

Leia Também: Coldplay sobem hoje ao palco em Coimbra para primeiro de quatro concertos

Deixe um comentário