Festival F faz nova radiografia da música portuguesa em Faro

“Todos os anos tentamos traçar uma radiografia do que é a música portuguesa da atualidade, de todos os estilos, dimensões e várias gerações”, disse hoje à agencia Lusa o coprodutor do festival, Vasco Sacramento, à margem da apresentação do cartaz, em Lisboa.

A oitava edição está marcada de 07 a 09 de setembro e contará com concertos, tertúlias, gastronomia e a participação de mais de 60 artistas.

Na apresentação em Lisboa, o presidente da câmara de Faro, Rogério Bacalhau, sublinhou a ideia de “celebração da música portuguesa”, num cenário histórico e natural, pela proximidade com a Ria Formosa.

A 07 de setembro, dia da cidade, são esperadas atuações dos D. A. M. A., Calema, Slow J, Maro, Mimicat, Supa Squad, Buruntuma, Clube Makumba e Eu.Clides.

No segundo dia, entre a eletrónica, a pop e o fado, sobem ao palco Mariza, Bispo, Jafumega, David Bruno, Tó Trips e You Can’t Win Charlie Brown.

No terceiro e último dia, entram em cena Pedro Abrunhosa, Bárbara Tinoco, Plutónio, Ricardo Ribeiro, Fogo Fogo, Silk Nobre, Noiserv e José Pinhal Post Mortem Experience.

Segundo Vasco Sacramento, uma das novidades deste ano é um palco para ‘jam sessions’.

“Como estamos no final do Verão, o festival funciona muitas vezes como ponto de encontro. Nos camarins do F já nasceram colaborações entre artistas. Este ano vamos ter um palco com ‘jam sessions’ para levar esse espírito mais a fundo”, disse.

A capacidade máxima do festival, que junta património natural, histórico, musical e industrial, volta a ser fixada em 24 mil pessoas.

O Festival F é uma iniciativa da Câmara Municipal de Faro, em coprodução com a Sons em Trânsito.

Leia Também: Prejuízo da Spotify mais do que duplica no 2.º trimestre do ano

Deixe um comentário