Festival Latitudes – Literatura e Viajantes regressa a Óbidos

Inserido na programação ‘Vila Literária’, o festival volta a propor “viagens escritas, faladas, ilustradas, por livrarias, por terra, céu e mar e até à mesa”, divulgou hoje a organização do Latitudes, evento que promoverá, no concelho de Óbidos, no distrito de Leiria, várias atividades em torno na literatura e das viagens.

O programa, divulgado hoje, integra lançamentos de livros, exposições, oficinas e experiências literárias para os mais novos, jantares literários temáticos, concertos, atividades para o público escolar e conversas entre o público e autores.

Entre as novidades desta quinta edição, a autarquia de Óbidos destaca a aposta numa nova atividade “relacionada com a identidade do concelho”, denominada ‘Viagem pela minha terra’, que levará os participantes a conhecer mais de perto sete lugares.

Estruturada em parceria com as Juntas de Freguesia do concelho de Óbidos a iniciativa dará a conhecer lugares “representativos das suas localidades”, bem como a “sua cultura e identidade”, numa viagem marcada por paragens de 15 a 20 minutos, para que os viajantes tenham “a oportunidade de observar o território paisagístico e natural de Óbidos, conhecer tradições e costumes locais, experimentar uma prática tradicional, degustar produtos locais e ouvir testemunhos de fazeres e saberes de outrora”, refere uma nota de imprensa da autarquia.

A música marca lugar no festival com a apresentação do concerto ‘Uma Viagem pelo Mundo’ e o Rumos Ensemble – Tocando Portugal, entre outras propostas que vão do hip-hop à ópera ‘Vénus e Adónis’, com duas apresentações previstas para a tarde e a noite de sábado.

A produção, que será uma das novidades do festival, está a cargo do Grupo Coral Alma Nova, e conta com as participações da Orquestra Sinfonietta d’Óbidos, do Coro Infantil Municipal de Óbidos e do Grupo Coral Alma Nova.

À mesa, o festival propõe este ano o jantar literário ‘Na Terra da Alegria’, inspirado na vida e obra do poeta Ruy Belo (1933-1978), uma atividade no âmbito da segunda edição do Curso de Turismo Literário, ministrado pela Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste – Turismo de Portugal.

No que toca a exposições, estará patente, na porta da vila, a mostra ‘Identidade do Fazer’, uma instalação de registos fotográficos identitários dos projetos Espaço Ó, captados pela lente de Ivo Barbosa.

No Espaço Ó poderá ser vista a mostra ‘Modelismo Ferroviário – Estação de Óbidos’ e, na Casa José Saramago, a mostra ‘Olho, Mão, Página: o Caderno como testemunho das Viagens do Olhar’.

‘Outros Mundos — Um ano, um mês e uma semana de aventuras e fotografias na Ásia’, uma exposição fotográfica de Ana Abrão, estará patente no Museu Abílio de Mattos e Silva.

A ‘Fanzine de Risco’, desenvolvida pela Éditions n’importe quoi, em parceria com a Biblioteca Escolar do Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos e o projeto MyMachine, estará patente no Espaço MyMachine e, na livraria Bichinho de Conto, a Sala Papel mostrará ‘Coisas que gostam de coisas e outras coisas simples onde mora a poesia’, uma exposição de Ilustração de Rachel Caiano com textos de João Pedro Mésseder e da Mar Benegas.

Uma sessão de observação de estrelas e o encontro livre de Urban Sketchers são outras das propostas do festival que teve a sua primeira edição em 2017, numa parceria entre autarquia, editoras, livrarias, restaurantes e hotéis, que se juntaram para organizar este encontro ligado à literatura e às viagens.

A vila de Óbidos está integrada, desde dezembro de 2015, na Rede de Cidades Criativas da UNESCO, estando classificada como Cidade Literária.

Óbidos conta com uma vasta rede de livrarias, algumas das quais instaladas em locais como museu, igrejas e mercados, e organiza, desde 2015, o Folio — Festival Literário Internacional de Óbidos.

Leia Também: Lisboa. Mizzy Miles e Mundo Segundo&Sam The Kid em festival Irreverente

Deixe um comentário