FestLuso homenageia teatro português com cinco produções nacionais

Naquela que é a sua 13.ª edição, o FestLuso, que se consagra como expressão de debate cénico sobre a língua portuguesa, fará homenagens ao teatro português e a produções lusitanas, explica o festival na sua página de Facebook.

Assim, no dia 23, sobe ao palco do Theatro 4 de Setembro ‘À mesa (Last Supper)’, de Nelson Monforte Studio Theatre, um espetáculo criado a partir dos cadernos de Da Vinci, que aborda o impacto do povo hebreu na história da humanidade.

Com direção de Nelson Monforte, esta peça é um convite à reflexão sobre os conceitos de humanidade e da liberdade, que fala sobre imigração e esclavagismo.

No mesmo dia, mas no espaço Sesc Cajuína, apresenta-se ‘Viagem Infinita – A partir de ‘Os Lusíadas’ de Camões – Versão de Itinerância”, pela Musgo Produção Cultural.

Trata-se de uma performance/concerto que, “redescobrindo as chamadas descobertas e a própria figura de Camões”, “pretende reconciliar” os espectadores com a obra do poeta português.

Nos dias 24 e 25, no Theatro 4 de Setembro, terão lugar os espetáculos ‘Transgressões’, de Roald Hoffmann, pela companhia Teatro Extremo, de Almada, e ‘Damas da Noite, uma farsa de Elmano Sancho’, pelo Loup Solitaire, de Lisboa.

O primeiro apresenta a história de Friedrich Wertheim, um químico de origem alemã, que se suicida, culpando-se por ter colocado nas mãos de terroristas uma maneira fácil de fazer uma neurotoxina.

Em ‘Damas da Noite’, Elmano Sancho evoca a conflituosa reviravolta de expectativas em torno do seu nascimento para levantar o véu: os pais esperavam uma menina, de nome já destinado, Cléopâtre, mas nasceu um menino.

No dia 26, o Sesc Cajuína apresenta ‘Saaraci, o Último Gafanhoto do Deserto’, pela companhia Saaraci Coletivo Teatral, uma coprodução de Portugal, Cabo Verde e Brasil.

Nesta história, o Gafanhoto Saaraci empreende uma viagem até à ilha do Gigante Adormecido, que o leva a grandes aventuras e descobertas, revelou o FestLuso, assinalando que esta “produção alegre e criativa, para todas as idades, coloca em cena o incrível telúrico mundo da artista plástica luso-cabo-verdiana Luisa Queirós”.

O FestLuso terá ainda apresentações de Moçambique, como o espetáculo “O Roubo e os Génios”, da Companhia de Teatro Hopangalatana.

Do Brasil, contam-se produções como a premiada peça paulista ‘Macacos”‘ interpretada por Clayton Nascimento, da Cia. do Sal, ‘Levando a vida no cabelo’, por Maria da Penha, ‘Café com queijo’, do Lume Teatro, ‘Sabbath da Brixa’, de Samuel Alvis /Dqtf, e ‘O Portal Encantado – Teatro para Bebês, pelo Cia Dragão’.

Os organizadores destacam que, para toda a programação, a entrada é gratuita, sendo necessário apenas levar um quilo de alimentos não perecíveis, a serem doados ao Programa Mesa Brasil Sesc, que existe desde 1994, visando o combate à fome e ao desperdício de alimento no Brasil, por meio de doações de parceiros.

Leia Também: FMM Sines bateu recorde de público mas quer melhorar condições para 2024

Deixe um comentário