Filme de Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes no festival de Karlovy Vary

 

O filme integra a secção Horizontes do festival checo, que vai para a sua 55.ª edição, na qual será homenageado o ator, produtor e realizador Ethan Hawke.

Na mesma secção, não competitiva, encontram-se obras como ‘Ahad’s Knee’, de Nadav Lapid, ‘Babi Yar, Context’, de Sergei Loznitsa, “Between Two Worlds”, de Emmanuel Carrère, e “O Marinheiro das Montanhas”, do brasileiro Karim Aïnouz, entre muitas outras.

O filme de Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes foi rodado em 2020 já em plena pandemia, com os atores Crista Alfaiate, Carloto Cotta e João Nunes Monteiro e toda a equipa técnica confinada numa casa, com jardim e piscina.

O argumento é de Mariana Ricardo, Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes, e todos eles – incluindo também outros elementos da produção – entram no filme, discutindo e construindo coletivamente a narrativa à medida que ela foi feita.

O detalhe está na manipulação da lógica temporal, em “cronologia invertida”, como explica Miguel Gomes no decurso do filme. O que aparenta ser uma história de quatro amigos, que decidem construir um borboletário no jardim da casa onde estão fechados, é afinal um filme sobre a construção de um filme.

Depois de Cannes, ‘Diários de Otsoga’, que teve estreia comercial em França no mês passado, integrou o Festival de Curtas de Vila do Conde e estrear-se-á nos cinemas portugueses em 19 de agosto.

‘Diários de Otsoga’ é o primeiro filme coassinado pelo realizador português Miguel Gomes e pela cineasta francesa Maureen Fazendeiro.

 

 

 

Deixe um comentário