Gipsy Kings atuam nas festas de fim de ano de Coimbra

A banda será o cabeça de cartaz da programação da Câmara de Coimbra para animar a passagem de ano de Coimbra, atuando no Largo da Portagem, numa festa que contará com o já habitual fogo de artifício junto ao rio Mondego, divulgou hoje o município, numa apresentação que teve lugar no restaurante Passaporte.

Os Gipsy Kings formaram-se em França a partir de descendentes de membros da comunidade cigana espanhola que fugiram de Espanha durante a guerra civil, e apresentam-se, segundo a organização, “pela primeira vez em Portugal”, na formação liderada por Tonino Baliardo.

A organização, na nota de imprensa, realça que Tonino Baliardo é “um compositor reconhecido mundialmente”, atribuindo-lhe a composição de canções como “Bamboleo” ou “Volare”, quando na verdade o refrão de “Bamboleo” é da autoria do brasileiro André Filho, para Carmen Miranda, e a outra música é do italiano Domenico Modugno, tendo sido interpretada por vários artistas e bandas, entre os quais os Gipsy Kings.

Para além dos Gipsy Kings, atuam também no palco do Largo da Portagem a banda Per7ume, e a dupla de DJ Kiss Kiss Bang Bang.

Já na Praça do Comércio — que será uma espécie de “discoteca a céu aberto” – a animação estará assegurada pelos projetos Insert Coin, Code e Ky-Mo, e, na Praça 8 de Maio, haverá um espetáculo intitulado “Revival Music”, por Rui Tomé e Luís Pinheiro.

O presidente da Câmara, José Manuel Silva, presente na apresentação do cartaz, realçou que apenas pediu ao seu vice-presidente, Francisco Veiga, para “fazer mais e melhor com menos dinheiro”.

“Venham, porque promete. Vamos ter cá os verdadeiros Gipsy Kings, os originais”, salientou.

O vice-presidente da Câmara de Coimbra destacou que foi possível fazer um corte de cerca de 40 mil euros no orçamento, face a 2019, referindo que o investimento global é de 246 mil euros.

Francisco Veiga referiu ainda que o fogo de artifício terá uma duração de cerca de 15 minutos, estando prevista animação até às 06:00.

Questionado sobre como será assegurada uma operação dos transportes urbanos para as pessoas se deslocarem para casa após as festividades, o vice-presidente referiu que, “nesse dia, ninguém vai pensar como vai regressar a casa”, mas assegurou que haverá autocarros ao início da manhã.

Francisco Veiga explicou ainda que, face à intervenção do Sistema de Mobilidade do Mondego na cidade, foi necessário reprogramar obras para garantir que seria possível realizar os festejos no Largo da Portagem.

O autarca referiu ainda que conta “ter mais de 200 mil pessoas” a participarem nas festas organizadas pela Câmara de Coimbra.

Leia Também: Fundação Serralves homenageia Paula Rego com exposição

Deixe um comentário