Jacinto Lucas Pires vence prémio de residência literária em Berlim

Através desta iniciativa, Jacinto Lucas Pires “propõe-se escrever o capítulo do seu novo romance que retrata a visita de um casal de namorados a Berlim onde ambos se deixam embrenhar na cena artística da cidade”, referiu a DGLAB, em nota de imprensa.

Segundo a embaixada de Portugal na Alemanha, a residência tem a duração de um mês e está marcada para outubro.

Ainda sem título, o próximo romance de Jacinto Lucas Pires abordará “a criação artística, o seu sentido e as suas possibilidades no mundo literal e apressado em que [se vive hoje], no qual se cruzam igualmente a crise da linguagem e a urgência climática, bem como a xenofobia e o espetro da guerra”.

A residência literária em Berlim faz parte de uma série de iniciativas de divulgação da literatura de língua portuguesa na Alemanha e em edições anteriores contemplou os autores Patrícia Portela, Rui Cardoso Martins, Isabela Figueiredo, Miguel Cardoso, Afonso Cruz, Judite Canha Fernandes e Claudia Galhós.

Jacinto Lucas Pires, 49 anos, é autor de romances, contos, peças de teatro, filmes, música.

No percurso literário, já foi distinguido com vários galardões, como o Prémio John dos Passos, pelo romance “Oração a que Faltam Joelhos” (2020), e o Grande Prémio de Literatura DST, em 2013, pelo romance “O Verdadeiro Ator”.

A estreia literária deu-se com “Para Averiguar do Seu Grau de Pureza: Treze prosas com janelas” (1996).

Realizou o filme “Triplo A” e faz parte da banda Os Quais, que editou o álbum “Geral”, em 2019. Como autor faz parte da companhia teatral Ninguém.

Leia Também: Festival MED arranca com artistas de vários pontos do mundo em Loulé

Deixe um comentário