JMJ. CM Lisboa quer dar desconto de 50% nos espaços culturais da EGEAC

“Atribuir um desconto no acesso aos equipamentos culturais geridos pela EGEAC por parte de voluntários e peregrinos inscritos na JMJ, independentemente da idade, entre os dias 24 de julho e 06 de agosto, salvaguardando-se sempre o cumprimento das regras de segurança e de lotação dos espaços”, lê-se na proposta do vereador da Cultura, Diogo Moura (CDS-PP), e do vice-presidente da câmara, Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP), que tem o pelouro das Finanças.

A proposta será apreciada pela câmara na sexta-feira, em reunião privada, de forma a mandatar o representante do município de Lisboa na Assembleia Geral da EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural para votar favoravelmente a aplicação do desconto destinado aos “participantes JMJ devidamente credenciados”.

“Nos museus, desconto de 50% sobre o preço normal de ingresso, durante todo o período de abertura ao público; entrada gratuita nos espaços/equipamentos que possam ter programação desenvolvida especificamente para a JMJ Lisboa 2023 e possuam condições de controlo de acessos autónomos, sem prejuízo da lotação desses espaços/equipamentos”, é referido no documento.

Segundo a proposta, no Castelo de São Jorge e Padrão dos Descobrimentos deverá também ser aplicado um “desconto de 50% sobre o preço normal de entrada, no período compreendido entre as 14:00 e as 20:00, sem prejuízo da possibilidade de se limitar o número de visitantes, por motivos de segurança”.

A proposta realça o trabalho do município de Lisboa na organização, programação, conceção e implementação da JMJ, “considerando por isso ser de toda a pertinência, tendo em consideração a relevância do evento em causa, bem como o grau de envolvimento desta autarquia, enquanto anfitriã da Jornada, atribuir um desconto no acesso aos equipamentos culturais geridos pela EGEAC por parte de voluntários e peregrinos inscritos na JMJ”.

“Esta é também a oportunidade de Lisboa poder apresentar a oferta cultural, promovendo a visita aos seus museus, monumentos e restantes equipamentos, contribuindo para uma maior projeção da nossa cidade junto dos participantes da JMJ”, destacam os autarcas do CDS-PP.

Presentemente, a empresa municipal EGEAC tem sob gestão direta os seguintes equipamentos culturais: Castelo de São Jorge; Padrão dos Descobrimentos; Cinema São Jorge; Teatro Municipal de São Luiz; Teatro do Bairro Alto; LU.CA — Teatro Luís de Camões; Casa Fernando Pessoa; Museu do Fado e da Guitarra Portuguesa; Museu da Marioneta; Museu de Lisboa, que integra cinco núcleos: Palácio Pimenta, Teatro Romano, Santo António, Torreão Poente e Casa dos Bicos; Museu Bordalo Pinheiro; Museu do Aljube Resistência e Liberdade; Atelier — Museu Júlio Pomar; e Galerias Municipais: Pavilhão Branco, Galeria da Boavista, Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Galeria Quadrum e Galeria Avenida da Índia.

Presidido por Carlos Moedas (PSD), que governa sem maioria absoluta, o executivo da Câmara Municipal de Lisboa é composto por 17 membros, dos quais sete eleitos da coligação Novos Tempos (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança) — que são os únicos com pelouros atribuídos –, quatro do PS, dois do PCP, dois do Cidadãos Por Lisboa (eleitos pela coligação PS/Livre), um do Livre e um do BE.

Considerada o maior acontecimento da Igreja Católica, a JMJ vai realizar-se este ano em Lisboa, entre 01 e 06 de agosto, sendo esperadas cerca de 1,5 milhões de pessoas.

Leia Também: Novo grafitti feito junto ao Padrão dos Descobrimentos já foi removido

Deixe um comentário