Leiria lança Fórum José Mattoso e dá nome do historiador a auditório

“Em sinal de reconhecimento pelo seu percurso e trabalho, o Município de Leiria pretende realizar o I Fórum José Mattoso no dia 28 de outubro de 2023, na Igreja da Pena — Castelo de Leiria, inteiramente dedicado ao seu trabalho e à investigação e reflexão que desenvolveu”, afirmou a vereadora com o pelouro da Cultura, Anabela Graça, na reunião do executivo municipal.

Ao ler um voto de pesar, aprovado por unanimidade, Anabela Graça explicou que “o Fórum José Mattoso é uma iniciativa prevista no Plano Estratégico Municipal da Cultura para o concelho de Leiria que terá continuidade”.

Segundo a vereadora, a autarquia pretende, ainda, “designar o parque na encosta do Castelo como Parque José Mattoso e atribuir o seu nome ao auditório ao ar livre do Castelo, passando este a designar-se Auditório José Mattoso”.

No voto de pesar, no qual a Câmara lamenta profundamente a morte de José Mattoso, aos 90 anos, lê-se que foi “um leiriense ilustre, que se notabilizou pelo seu percurso enquanto historiador, professor universitário e diretor da Torre do Tombo”.

Nascido em Leiria, em 1933, José Mattoso licenciou-se em História, na Faculdade de Letras da Universidade Católica de Lovaina e doutorou-se em História Medieval. Foi investigador, professor, exerceu ainda as funções de presidente do Instituto Português de Arquivos, de 1988 a 1990, e diretor da Torre do Tombo, entre 1996 e 1998.

“Viveu em Timor-Leste, colaborando na recuperação do Arquivo Nacional e no Arquivo da Resistência, e lecionou no Seminário Maior de Díli”, adiantou o voto de pesar, destacando que José Mattoso é “autor de uma extensa bibliografia” e “foi um reconhecido especialista na História Medieval Portuguesa”.

Recebeu, entre outros, o Prémio Pessoa, em 1987, o Prémio Internacional de Genealogia Bohüs Szögyeny, em 1991, o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada, em 10 de junho de 1992, e o Troféu Latino, em 2007.

“Em 1999, foi homenageado com o Galardão Municipal de Leiria por serviços relevantes prestados em prol do município e, em 2010, foi-lhe atribuída a Medalha da Cidade de Leiria, pela sua vasta e valiosa obra e pelas qualidades de cidadão exemplar reconhecido em Portugal e no estrangeiro como um dos mais insignes especialistas na história medieval de Portugal, tendo em 2021 recebido a Chave da Cidade”, acrescentou a nota.

No domingo, a autarquia manifestou “o seu profundo pesar perante a morte de José Mattoso” e associou-se “ao luto e à dor sentida pela família e amigos mais próximos”, tendo decretado três dias de luto municipal pela morte do historiador, com a colocação da bandeira do município a meia haste.

Leia Também: Exposição na Casa das Histórias revela processo criativo de Paula Rego

Deixe um comentário