Mecenas do Pavilhão do Vaticano traz para Portugal peças de Siza

Estas obras, que interpelam o tema “Amizade Social”, estarão em exposição em Veneza a partir de sábado e até novembro, vindo depois para Portugal para “povoar” o projeto transfronteiriço “Caminho da Arte” nos Caminhos Portugueses de Santiago, referiu em comunicado o mecenas do Pavilhão de Vaticano, o grupo empresarial Lionesa.

Com o denominador comum Siza Vieira, o arquiteto convidado para a requalificação do Mosteiro de Leça do Balio, do grupo Lionesa, e ainda para conceber o primeiro marco deste projeto transfronteiriço, foi também a figura convidada pelo Vaticano para interpretar o tema em exposição, “Amizade Social”.

A exposição, com o título “Amizade Social: Encontro no Jardim”, a cargo do Dicastério para a Cultura e a Educação, “será montada nos edifícios do Mosteiro Beneditino e nos jardins da Abadia de San Giorgio Maggiore”, naquela cidade italiana, integrando-se no tema da mostra, “O Laboratório do Futuro”, com “a instalação ‘O Encontro’ de Álvaro Siza”, num percurso concebido pelo arquiteto Roberto Cremascoli.

A instalação “O Encontro”, de Álvaro Siza, acolhe e conduz o visitante, “num diálogo com as peças desenhadas” pelo arquiteto, num percurso até ao jardim projetado pelo Studio Albori.

Este espaço, reservado à comunidade beneditina, estará aberto ao público durante a Bienal de Arquitetura de Veneza.

A 18.ª Exposição Internacional de Arquitetura — Bienal de Veneza conta com representações oficiais de 63 países, sendo Portugal e Brasil os únicos lusófonos presentes.

As exposições e projetos especiais dedicados ao “Laboratório do Futuro”, tema da mostra, contam ainda com 89 arquitetos e gabinetes de arquitetura, na maioria de África e da diáspora africana, entre os quais o Banga Colectivo, gabinete de arquitetura de Luanda e Lisboa, e o ateliê brasileiro Cartografia Negra.

O “Caminho da Arte”, promovido pela Lionesa Associação, é um projeto transfronteiriço que ambiciona transformar os Caminhos Portugueses de Santiago na “mais bonita estrada de arte do mundo”, introduzindo obras de arte contemporânea ao longo dos mais de 260 quilómetros, que ligam a Sé do Porto à Catedral de Santiago de Compostela.

Os Caminhos de Santiago são os percursos dos peregrinos que afluem a Santiago de Compostela, na Galiza, Espanha, desde o século IX para venerar as relíquias do apóstolo Santiago Maior, cujo suposto sepulcro se encontra na catedral de Santiago de Compostela.

Foi declarado Primeiro Itinerário Cultural Europeu em 1987 e Património da Humanidade (em Espanha em 1993 e em França em 1998).

O Lionesa Group é um grupo familiar com mais de 20 anos, que detém ativos das marcas Lionesa Business Hub, Balio e Livraria Lello.

O grupo gere negócios nas áreas do retalho, turismo, cultura, escritórios e imobiliário.

Leia Também: Pavilhão de Portugal na Bienal de Arquitetura de Veneza é hoje inaugurado

Deixe um comentário