‘Mochila’ regressa a Faro com mais de 100 artistas e 12 espetáculos

A programação da segunda edição do festival, dirigida maioritariamente ao público infantojuvenil e familiar, integra espetáculos de artistas e de companhias “já com trabalho sedimentado no circuito artístico e cultural, bem como estruturas jovens e emergentes”, indicou João de Brito, diretor artístico do LAMA Teatro de Faro.

Organizado pela companhia LAMA Teatro, o evento vai decorrer em diversos espaços culturais e ao ar livre da cidade de Faro, com atividades paralelas, como oficinas, conversas e exibições de filmes.

“Pretendemos ter este ano um programa mais vasto e alargado, com ofertas para todas as idades, com companhias e artistas que precisam destes palcos para mostrar os seus trabalhos”, referiu o diretor artístico do LAMA.

Segundo João de Brito, a iniciativa “pretende ser uma plataforma de mediação cultural que promova o envolvimento de toda a comunidade de Faro, com uma programação eclética de qualidade em diversas áreas das artes performativas”.

O responsável destaca da programação, o concerto dos “Mão Verde”, “um projeto que começou por ser do Capicua do Pedro Geraldes”, e a estreia do espetáculo de novo circo “Une partir de soi”, de João Paulo Santos.

Além destes, o evento terá ainda duas estreias do LAMA Teatro: o “Valor das pequenas coisas”, uma coprodução com o Teatro Luís de Camões, de Lisboa, que abre o festival no dia 03 de novembro, no Teatro Lethes, às 14:30, e o “Puzzle”, uma coprodução com o Teatro das Figuras, nos dias 09 e 10, na Biblioteca de Faro.

No primeiro dia será também apresentado o espetáculo “Em busca de um neto”, de Rita Rodrigues, no pavilhão polidesportivo do Clube União Culatrense, na Ilha da Culatra.

No dia 04, o Espaço Quintalão recebe “Histórias suspensas”, às 14:30 e 19:00, uma proposta de novo circo da companhia Radar 360º, com direção da coreógrafa Joana Providência, seguindo-se, no dia 05, às 11:00, “À Babuja”, uma criação do LAMA Teatro e, às 16:00, “T0+1, um espetáculo entre 4 paredes e sobre três rodas”, de Thorsten Grütjen.

No espaço do DeVIR CAPa, o Teatro Praga apresenta, no dia 05, às 19:00, “MACBAD”, uma incursão pela “peça maldita” de William Shakespeare (“Macbeth”).

No dia 06, sobe ao palco do auditório do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), às 11:00, a peça “Xamamã”, uma criação para todas as idades da Companhia de Acores, e no Jardim da Alameda João de Deus vai ser apresentado, pelas 16:00, o espetáculo “Australopiteco”, pela Companhia Universo Paralelo.

A 09 de novembro, vai ser realizada a sessão dirigida para as escolas do 1.º ciclo com a peça “A grande corrida”, uma criação de Catarina Requeijo, e o espetáculo “Puzzle”, na Biblioteca Municipal de Faro, com sessões às 19:30 e 21:00.

No dia 11, o Teatro das Figuras recebe, às 21:00, o concerto “Mão Verde”, projeto de Capicua e Pedro Geraldes.

O “Concerto para uma árvore”, criado e interpretado por João Mota, no Jardim da Alameda João de Deus, às 15:00, e “Une partie de soi”, criação de João Paulo Santos, no Largo da Pontinha, às 17:00, encerram a programção do festival.

Durante os dias do evento, o “Gang das Mochilas”, um grupo composto por cerca de 50 jovens intérpretes, vai percorrer a baixa da cidade, mercado municipal e a Universidade do Algarve com pequenas ‘performances’ coreográficas.

Leia Também: Teatro Aberto. Miguel Guilherme protagoniza ‘O coração de um pugilista’

Deixe um comentário