Morreu o desenhador de luz José Álvaro Correia aos 45 anos

A mesma fonte indicou à agência Lusa que o desenhador de luz, nascido em 1976, faleceu no Instituto Português de Oncologia, em Lisboa onde estava internado.

Licenciado em produção de teatro e especialista em design de iluminação pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, José Álvaro Correia trabalhou com coreógrafas como Clara Andermatt e Né barros, e com encenadores como Nuno Cardoso, Cristina Carvalhal, Mónica Calle e John Romão, entre outros.

O teatro foi o início de um percurso que levou José Álvaro Correia a criar para várias áreas da iluminação como concertos, óperas, dança, museus e exposições, vídeo, instalações, desfiles de moda, espaços públicos e diversos eventos.

Desenhou, por exemplo, a luz dos concertos em Portugal de Adriana Calcanhoto, Caetano Veloso, Gilberto Gil, e de festivais de música, como o Jazz em Agosto, na Fundação Calouste Gulbenkian, ou de peças para o Teatro Nacional São João, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Municipal São Luíz, e de eventos como a Moda Lisboa, entre outros.

Desde o ano 2000 que orientava diversas formaçoes de iluminação, colaborando regularmente com a escola profissional Balleteatro, Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, onde era professor adjunto convidado, e a Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (E.S.M.A.E.).

Nos últimos anos tinha conciliado o desenho de luz com o desenho de vídeo, interessando-se pela implementação de sistemas de integração e sincronismo da iluminação com a imagem e som.

É co-autor do Manual Técnico para Iluminação de Espetáculos, com Pedro Moreira Cabral.

O velório de José Álvaro Correia decorrerá na quarta-feira, a partir das 18h30, na Igreja de Linda-a-Velha, e o funeral na quinta-feira, às 11h00, para o Crematório de Cascais, em Alcabideche.

Leia Também: Antigo assistente de Stanley Kubrick, ator Leon Vitali morre aos 74 anos

Deixe um comentário