Português assume em janeiro direção do instituto da língua portuguesa

O IILP, tutelado pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), tem uma direção-executiva rotativa, cabendo a cada um dos nove Estados-membros a sua nomeação por dois anos. Neste mandato, cabe a Portugal indicar um nome para o cargo.

Aquando do último Conselho de Ministros da CPLP, que decorreu em Luanda em junho passado, as autoridades portuguesas não avançaram qualquer proposta, pelo que a nomeação de Laurentino Neves foi aprovada em novembro, em sede do Comité de Concertação Permanente da CPLP, a habitual reunião mensal dos embaixadores representantes em Lisboa dos nove Estados-membros.

A aprovação do nome de João Laurentino Costa Pinho Neves, que vai desempenhar o cargo em paralelo com o de vogal do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, ocorreu assim pouco tempo antes de Incanha Itumbo, o investigador e linguista guineense, terminar o seu mandato de dois anos, que iniciou a 06 de dezembro de 2018, data em que tomou posse.

Laurentino Neves foi também diretor do IPOR – Instituto Português do Oriente e já esteve ligado ao IILP, nomeadamente entre 2003 e 2008, quando fez parte da assembleia do conselho científico do instituto.

O novo diretor executivo do IILP é licenciado em Línguas e Literaturas Modernas.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os nove estados-membros da CPLP.

Leia Também: Nelma Fernandes nomeada presidente da Confederação Empresarial da CPLP

Deixe um comentário