‘Stop Making Sense’ dos Talking Heads regressa ao cinema em agosto

O lançamento do filme ocorrerá no dia 18 de agosto, segundo a editora Rhino, a par da edição da banda sonora em formato digital e de uma edição limitada em duplo LP que incluem, pela primeira vez, a totalidade do concerto, com duas canções nunca incluídas nas anteriores versões áudio: ‘Cities’ e ‘Big Business / I Zimbra’.

A edição em vinil inclui ainda um livro de 28 páginas com fotografias inéditas e anotações dos quatro Talking Heads: Tina Weymouth, David Byrne, Chris Frantz e Jerry Harrison.

O filme chega aos cinemas em cópia digital restaurada, através da nova-iorquina A24, a produtora-distribuidora independente de Daniel Katz e David Fenkel, responsável pelo filme vencedor dos Óscares deste ano, ‘Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo’. A nova edição do álbum beneficia igualmente de uma nova mistura ‘Dolby Atmos’.

‘Stop Making Sense’ surgiu de uma proposta feita pelo realizador Jonathan Demme (1944-2017) aos Talking Heads, depois de ter assistido a um concerto da digressão do álbum anterior da banda de Nova Iorque, ‘Speaking in Tongues’, editado no início do verão de 1983.

Proposta aceite, o trabalho em conjunto desenvolver-se-ia nos meses seguintes, dando então origem aos três concertos de dezembro desse ano, no Pantages Theater, em Hollywood, que forneceram o material de base ao filme de Demme.

‘Stop Making Sense’ traça uma retrospetiva do percurso da banda liderada pelo músico de origem escocesa David Byrne, conjugando canções dos seis álbuns publicados à época, de “77” a ‘Speaking in Tongues’, passando por ‘Remain in Light’, ‘Fear of Music’ e ‘More Songs About Buildings and Food’, sem deixar de lado testemunhos de projetos próprios entretanto desenvolvidos pelos seus elementos.

No filme, os Talking Heads interpretam 18 canções, incluindo o ‘single’ que então revelaram, ‘Burning Down The House’ – o primeiro a levá-los para o top 10 dos Estados Unidos -, assim como músicas como ‘Genius of Love’, dos Tom Tom Club, de Tina Weymouth e Chris Frantz, e ‘What A Day That Was’ e ‘Big Business’, do álbum ‘The Catherine Wheel’, editado por Byrne em 1981.

O filme-concerto teve estreia nas salas de cinema em setembro de 1984. Venceu o grande prémio do Festival de Gent, na Bélgica, em 1985, e o prémio de melhor documentário da Associação de Críticos norte-americanos, no mesmo ano. A banda sonora vendeu mais de dois milhões de cópias, segundo a Warner Portugal, que representa a Rhino no mercado nacional.

No ano passado, ‘Stop Making Sense’ entrou no Arquivo Cinematográfico Nacional da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, pela sua “importância cultural, histórica e estética”.

Leia Também: Cientistas tentam explicar morte prematura de Beethoven através de ADN

Deixe um comentário