Teatro Griot estreia adaptação de "A Divina Comédia" em Loulé

“Significa um encontro entre uma grande obra clássica e um grupo de teatro contemporâneo”, disse à agência Lusa o encenador Miguel Loureiro, que considerou a adaptação do texto original a um menos extenso como “um dos grandes trabalhos” feitos para chegar ao resultado final.

O Teatro Griot apresenta-se como “uma companhia de atores que se dedica à exploração de temáticas relevantes para a construção e problematização da Europa contemporânea e o seu reflexo no discurso e na estética teatral”.

“Criámos este momento teatral porque nos encontramos, assim como o Dante, numa encruzilhada, a meio caminho da nossa vida, todos temos entre 40 e 50 anos”, explicou Miguel Loureiro, acrescentando que os Griot estão num “momento de reflexão”.

Depois de terem feito trabalhos num contexto de “discurso contemporâneo”, como as questões relacionadas com o feminismo, o género e o pós-colonialismo, o coletivo lança-se agora na interpretação de uma obra clássica.

“No Meio do Caminho” tem como base “A Divina Comédia”, uma epopeia medieval que narra a viagem de Dante pelos três lugares do Além – Inferno, Purgatório e Paraíso.

Segundo o sumário da obra teatral, “os três atores estão num lugar impreciso, uma sala, um gabinete, um estúdio ou nada disto”, em que vão tentando “reproduzir o texto, as personagens, os mitos e os vícios de raciocínio ligados a esta obra-prima, que não foi originalmente pensada para ser drama, para ser cena”.

O encenador Miguel Loureiro prometeu “imagens muito fortes”, tendo também a equipa “trabalhado muito sobre as palavras” do texto original.

A obra teatral vai “atravessar três projeções metafísicas”: Inferno, “lugar de condenação e de dor”; Purgatório, “onde o humano se penitencia e purifica”; e Paraíso, “pináculo de redenção e meta da aventura”.

A estreia do Teatro Griot aconteceu em abril de 2012, com a peça “Faz escuro nos olhos”, um trabalho coletivo de vários atores africanos ou afrodescendentes, com encenação de Rogério de Carvalho.

Depois de duas sessões no Cineteatro Louletano, nos dias 07 e 08 de outubro, sempre às 21:00, a peça será apresentada em Odivelas, no Centro Cultural Malaposta, a 22 e 23 de outubro.

Leia Também: Xutos&Pontapés em Lisboa para celebrar 35 anos de ‘Circo de Feras’

Deixe um comentário