Travis Scott é ‘cabeça de cartaz’ do festival Rolling Loud em Portimão

“É um festival de grande dimensão e o cartaz é muito apelativo. Não podemos esquecer que vamos ter Travis Scott na Praia da Rocha. O hip-hop está em grande crescendo no mundo inteiro e a marca Rolling Loud é muito forte, é o maior festival de hip-hop do mundo”, destacou à Lusa Tiago Castelo Branco, diretor-executivo da MOT, uma das empresas parceiras na organização do evento.

O Rolling Loud, cujo cartaz deste ano integra mais de 60 artistas, partilha organização e recinto com o Afro Nation, festival de música ‘afrobeat’ que na semana passada juntou dezenas de milhares de pessoas naquele areal de Portimão, no distrito de Faro.

“O que fazemos é um ‘rebranding’ de todo o recinto, redecoramos e a festa continua. Muda tudo. Muda a decoração e muda o cliente”, salientou o responsável.

O estilo de música e o cartaz “fazem com que, mais uma vez, venha muita gente de fora”, reconheceu Tiago Castelo Branco, depois de no Afro Nation cerca de 90% do público ter sido estrangeiro.

Ainda assim, a segunda edição em solo português do Rolling Loud, festival criado em Miami, nos Estados Unidos, “teve uma grande procura de portugueses, ao contrário da primeira edição”, apontou.

“Este ano, aumentámos muito a taxa de portugueses, cerca de 20 a 25% [do total], mas [o público] continua a ser maioritariamente estrangeiro”, disse o diretor executivo da MOT, que preferiu não indicar o número de espectadores previstos.

O festival arranca na quarta-feira, com o principal cabeça de cartaz, o ‘rapper’ norte-americano Travis Scott, que na passada semana ficou a saber que não vai enfrentar acusações criminais pela morte de 10 pessoas por esmagamento no seu concerto no festival Astroworld, em 2021, após decisão do grande júri do estado do Texas.

O artista e a organização do evento, realizado em Houston, são também alvo de vários processos judiciais interpostos por familiares das vítimas.

O cartaz de quarta-feira no Rolling Loud inclui ainda Aitch, Bktherula, Central Cee, Chow Lee, Destroy Lonely, Eem Triplin, Homixide Gang, Jeleel!, Joey Bada$$, Kaaris, Ken Carson, Latto, Lil Uzi Vert, Luh Tyler, Meechy Darko, Profjam, Rafaell Dior, Rondodasosa, Shaybo, Soulja Boy e T-Rex.

Na quinta-feira, que tem em Playboi Carti o grande destaque, vão também atuar 2Rare, Cochise, Dess Dior, Glorilla, Gucci Mane, Hoosh, J.I.D, Kodak Black, K-Trap, Lil Skies, Lola Brooke, Mariah the Scientist, Mizzy Miles, Night Lovell, Nines, NLE Choppa, Robb Bank$, Sainté, Sid Shyne e Space JaM The Pilot.

O festival encerra na sexta-feira, com Meek Mill como cabeça de cartaz, além dos concertos de Danny Towers, D-Block Europe, Digga D, Dinos, Duke Deuce, Eddy Baker, Fat Nick, Kaycyy, K.Charles, Kxllswxtch, La Zowi, Leïti, Lil Durk, Russ Millions, Sippinpurpp, Ski Mask The Slump God, Tay Money, Tion Wayne, Unknown T, Wet Bed Gang, Xavier Wulf e YG.

A primeira edição do festival norte-americano Rolling Loud em Portugal deveria ter acontecido no verão de 2020, mas foi adiada para julho de 2021 e depois reagendada, para 2022, sempre devido à pandemia da covid-19.

Na sua primeira edição em Portugal, que juntou cerca de 35 mil espectadores, o cartaz incluía como cabeças de cartaz nomes como o ‘rapper’ e produtor J. Cole, A$AP Rocky e Future.

O festival só admite a entrada a maiores de 18 anos.

Leia Também: Travis Scott poderá enfrentar acusações criminais por mortes em concerto

Deixe um comentário